fbpx

01. Os 8 passos : Yamas, Niyamas, Asanas, Pranayamas, Pratyahara, Dharana, Dhyana, Samadhi !

O que é o Yoga?

O Yoga é uma antiga ciência que tem suas bases nos Vedas, textos sagrados da Índia que datam de mais de 6.000 anos. Estes textos traziam na verdade algumas bases e diretrizes que precisavam ser devidamente ordenadas para que chagássemos ao Yoga tal qual ele é conhecido nos dias de hoje, e isso foi feito por um grande mestre aproximadamente 200 anos antes de Cristo, no famoso texto “Os Sutras de Patanjali”.

Curiosamente, embora o yoga seja entendido como posturas mirabolantes, nenhuma postura é ensinada nos textos iniciais! Os sutras de Patanjali nos trazem um caminho espiritual, que tem por objetivo a iluminação do ser humano, através da prática da meditação, chamada de Dhyána, com o objetivo final de atingir um estado de vacuidade mental chamado de Samádhi, no qual o indivíduo sente sua mente se fundindo ao todo e a percepção de individualidade é dissolvida.

                Patanjali nos coloca que este caminho tem oito passos:

                O primeiro e o segundo dizem respeito a ética, os Yamas, coisas das quais devemos nos abster e os Niyamas, aspectos que devemos observar em nossas vidas, promover.

                Após observar a ética, temos os asanas, posturas de natureza psico física, que alinham nossa ossatura, desbloqueiam e fortalecem nossa musculatura, alongam nossos tendões e nos preparam para os passos subsequentes.

                A pratica seguinte é a dos Pranayamas, onde utilizamos a respiração como suporte para realizar exercícios onde manipulamos a energia vital chamada de Prana. É um engano pensar que o Prana está no ar, o Prana permeia a tudo, está até mesmo no vácuo, akash !

                Em seguida chegamos ao quinto passo: Pratyahara, o controle dos sentidos. Momento no qual o praticante é capaz de meditar mesmo com estímulos de várias naturezas, sons, frio, calor, sem que ele seja atrapalhado!

                O sexto passo diz respeito a Dharana, momento em que o foco do praticante é inabalável e ele consegue se concentrar em um único ponto, sem distrações.

                O sétimo passo é Dhyana, a meditação em si!

                E só assim, no oitavo passo, o praticante atinge o objetivo final, o Samadhi, que é praticamente indefinível! Para que possamos ter uma vaga ideia dessa sensação, podemos colocar como sendo a vacuidade, a percepção de fusão com o todo.

                Por tudo isso fica claro que no Yoga nós vamos gradativamente treinando nossas mentes para a redução dos estímulos, mesmo na prática das posturas, adotamos um estado meditativo, e qualquer estímulo adicional, como música ou a interação com outros praticantes no momento da aula é extremamente indesejável.

                A palavra Yoga significa em síntese União: A união de instâncias do seu próprio eu!