Entenda melhor o que é Biopsicologia

Sempre nos referimos a Biopsicologia como sendo a ciência da felicidade, mas nunca paramos para explicar a forma como se dá esse aprendizado e como obtemos os resultados.

O texto é um pouco longo, mas é um esclarecimento que vale a pena.

O termo “Biopsicologia” tem sido utilizado por muitas pessoas e organizações, como podemos ver nas imagens abaixo.

Ninguém pode ou deve tentar “reservar” o uso do termo “Biopsicologia”, pois trata-se do nome de uma ciência a ser estudada e difundida por todos aqueles que quiserem e se identificarem com isso, aqueles que acreditam nisso como dharma. Seria como alguém tentar ter domínio do termo filosofia, por exemplo.
Uma questão também importante é que para a aplicação desse conhecimento na sua vida, você não precisa rever suas crenças ou participar de qualquer tipo de atividade devocional.

Confundir Biopsicologia com devoção ou usar do contexto das vivências para conseguir devotos para qualquer guru ou seita, é uma distorção enorme do objetivo maior, que é trazer felicidade e bem-estar às pessoas, respeitando o sistema de crenças de cada um.

Dalai Lama sempre coloca que ninguém deve ou precisa mudar aquilo em que acredita, as pessoas precisam sim desenvolver compaixão e ter algumas práticas essenciais em seus cotidianos.

Outro aspecto importante nesse contexto é que a felicidade da qual estou falando não pressupõem dependência de ninguém! Você não precisa de um acharya (professor) ou guru para isso. Também não depende de reuniões semanais, iniciações ou rituais. A felicidade está em você e nosso papel com as atividades que desenvolvemos é apenas fazer com que você se dê conta disso e remova as questões que dificultam essa percepção, sejam elas de natureza mental, emocional ou fisiológica.

Ninguém é mestre de si mesmo quando precisa de algum tipo de supervisão, de um terceiro ou de um grupo. A pessoa que atinge essa plenitude se basta por si mesma e fica junto dos outros como um ponto de luz, divide aquilo que conseguiu e multiplica os benefícios em seu entorno.

A questão é que a relação entre os nossos aspectos mentais, psíquicos e fisiológicos está super comprovada e hoje sabemos com certeza que assim como nossas emoções influem no nosso corpo físico, na nossa fisiologia, o contrário também é verdadeiro, e a forma como tratamos nossa saúde, nosso corpo, repercute nas nossas emoções.

A mente é algo que poucas pessoas conseguem sequer definir, mas ela compreende e envolve todos os aspectos da sua saúde.

A Biopsicologia não só estuda a fundo essas relações como propõem ferramentas eficientes e profundas para gerar mudanças em todos os níveis, atuando de forma sistêmica.

É como se tivéssemos um canivete suíço, na verdade um canivete indiano … rs, de ferramentas práticas para gerar mudanças. Temos a meditação, o yoga, a ayurveda, a alimentação, os mantras, a filosofia, a percepção metafísica e uma série de outras, que são explicadas para que as pessoas entendam seus valores e coloquem seus princípios em seu dia-a-dia.

Perceba, no entanto, que tudo está interligado, se você está mentalmente agitado do ponto de vista da medicina ayurvédica, você não vai conseguir meditar adequadamente, se seu corpo não está bem, está encurtado e dolorido, você não vai conseguir sustentar a posição para meditar. Se você não medita, sua mente não se aquieta e não encontra paz e tranquilidade. São práticas que devem seguir juntas e as pessoas devem ter um conhecimento mínimo para que encontrem seus próprios caminhos e aspectos a serem corrigidos. É esse o nosso papel, dar os elementos iniciais para todo esse processo.

Não nos propomos a oferecer cursos acadêmicos, não é de títulos que as pessoas precisam, e o tipo de conhecimento que oferecemos não está nos moldes da metodologia científica ocidental. São conhecimentos milenares que se confirmam por sua eficácia e não por pesquisas ou testes.

No entanto, não somos detentores da verdade, sabemos que outras práticas tem resultados muito semelhantes, e considerando que as pessoas devem praticar aquilo com que se identificam, apoiamos e difundimos também o Tai Chi Chuan, o Tchi Kung, a acupuntura e todas as atividades que possam resultar em equilíbrio e qualidade de vida.

A dança, por exemplo, alicia emoções de alegria muito genuínas e profundas, alguns minutos nesse estado, fazem com que nosso sistema imunológico se fortaleça, neurotransmissores e neuroreceptores são produzidos, hormônios são liberados e em nível fisiológico a “mágica” acontece!

Nossa meta é essa, fazer com que as pessoas encontrem seus estados originais, inatos, de equilíbrio, saúde e felicidade!

Shanti,

Namastê !